jusbrasil.com.br
11 de Dezembro de 2018

Arbitragem: Método extrajudicial cresce no Brasil nos últimos anos

Levantamento aponta que mais de 1,5 mil casos envolvendo questões empresariais foram levados às seis principais câmaras de arbitragem desde o começo da década

Publicado por Michel Penna
há 2 meses

No começo da década, as seis principais câmaras de arbitragem do País registraram 128 procedimentos e cerca de R$ 2,8 bilhões envolvidos nas disputas. Já em 2016, foram 249 novos casos, ultrapassando os R$ 24 bilhões. Em 2017, o número de procedimentos aumentou para 275 e os valores envolvidos subiram para R$ 26,3 bilhões.

Os dados são da pesquisa "Arbitragem em Números e Valores", elaborada pela advogada e professora Selma Lemes. O levantamento também aponta que mais de 1,5 mil casos envolvendo questões empresariais foram levados às seis principais câmaras. Os valores envolvidos nas disputas ultrapassam a marca de R$ 87 bilhões - mais da metade dessa quantia registrada somente nos últimos dois anos.

Outra novidade é a média de tempo para a conclusão dos procedimentos. Em nenhuma das seis câmaras de arbitragem os casos que tiveram sentença proferida em 2017 duraram mais de dois anos. Isso quer dizer que, na prática, as câmaras promovem celeridade na resolução dos processos. Na Câmara de Arbitragem da Fundação Getúlio Vargas (CAM- FGV), por exemplo, as disputas levaram em média, 18 meses, para resolverem as questões apresentadas.

Para o diretor jurídico da instituição, Pedro Paulo Cristofaro, a rapidez do método - comparado aos processos judiciais - é uma das principais vantagens. “No Brasil, a arbitragem vive um bom momento. Entre os motivos estão o apoio do judiciário e o interesse dos advogados, que estão, cada vez mais, aprimorando-se e estudando sobre o assunto”.

Cristofaro afirma, entretanto, que a principal desvantagem é o custo. “No processo judicial você paga uma taxa judiciária, que é normalmente moderada. Já na arbitragem, sobretudo em um tribunal composto por três árbitros, é necessário remunerá-los, o que normalmente não é barato. É necessário pesar de um lado o custo maior da arbitragem, mas com o tempo bem mais reduzido”.

Se a arbitragem for administrada por uma Câmara, o custo pode elevar-se ainda mais, já que também é necessário remunerar a instituição. O diretor jurídico ressalta a importância da existência delas, que têm a função de auxiliar o processo. “As câmaras não têm poder de julgar, função aplicada ao árbitro, porém oferecem todo apoio: organizam o processo, produzem intimações, colecionam os documentos, tornando o processo mais eficaz”.

Fenalaw 2018 - O diretor jurídico da Câmara de Arbitragem da Fundação Getúlio Vargas, Pedro Paulo Cristofaro, estará entre os palestrantes do painel “Mediação, Arbitragem, Conciliação: Métodos Extrajudiciais Efetivos de Resolução de Conflitos” na Fenalaw, maior plataforma de conteúdo e de negócios jurídicos da América Latina. A palestra dele está agendada para o dia 24 de outubro, às 11h10, na Plenária de Abertura do evento.

A Fenalaw será realizada de 24 a 26 de outubro, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP), e vai reunir mais de 4.500 profissionais de departamentos jurídicos e escritórios de advocacia de todo o país. Ao todo, serão 1.500 congressistas, em 8 auditórios simultâneos e aproximadamente 270 palestrantes durante os três dias de evento, além de mais de 60 marcas expositoras distribuídas em um espaço exclusivo para a demonstração e o lançamento de produtos, serviços, soluções e novas tecnologias para o setor.

Saiba mais sobre o evento, acessando www.fenalaw.com.br

Fenalaw 2018

Data: 24 a 26 de outubro

Horário: 09h às 19h

Local: Centro de Convenções Frei Caneca – SP

Sobre a Fenalaw

A Fenalaw é a maior plataforma de conteúdo e de negócios jurídicos da América Latina, consagrada como o principal encontro de departamentos jurídicos e escritórios de advocacia do País. Na edição de 2017, o evento reuniu 4.229 congressistas e visitantes, 200 palestrantes e 60 marcas expositoras. O evento é organizado pelo Informa Exhibitions, unidade de negócios do Grupo Informa, líder em inteligência de negócios, publicações acadêmicas, conhecimento e eventos.

Sobre o Grupo Informa

O Grupo Informa está listado na Bolsa de Valores de Londres e é membro do FTSE 100, índice composto das 100 maiores empresas da Bolsa do Reino Unido. A empresa é filiada à União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe). Além do Brasil, a Informa Exhibitions possui escritórios no mundo em outras 14 localidades nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Egito, Emirados Árabes e China.

Assessoria de Imprensa – Fenalaw 2018

Conteúdo Empresarial – Comunicação Integrada

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)